YoutubeFacebook

Mensagens

OS RICOS E PODEROSOS CORRUPTOS SEMPRE DIMINUEM A LONGEVIDADE DOS MAIS POBRES

 Por volta do 60 anos da era cristã, um homem chamado Tiago, que se apresenta como “servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo”, escreveu uma carta a “todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro” (Tg 1.1). A braveza com a qual ele trata os ricos corruptos é visível. No final da carta, por exemplo, ele escreve:

 
“Agora, ricos escutem! Chorem e gritem pelas desgraças que vocês vão sofrer! As suas riquezas estão podres, e as suas roupas finas estão comidas pelas traças. O seu ouro e a sua prata estão cobertos de ferrugem, e essa ferrugem será testemunha contra vocês e, como fogo, comerá o corpo de vocês. Nestes últimos tempos vocês têm amontoado riquezas e não têm pago os salários das pessoas que trabalham nos seus campos. Escutem as suas reclamações! Os gritos dos que trabalham nas colheitas têm chegado até os ouvidos de Deus, o Senhor Todo-Poderoso. Vocês têm tido uma vida de luxo e prazeres aqui na terra e estão gordos como gado pronto para o matadouro. Vocês têm condenado e matado os inocentes, e eles não podem fazer nada contra vocês” (Tg 5.1-6).
 
Há duas acusações sérias só nesse pequeno trecho da epístola. Os ricos corruptos estão amontoando riquezas à custa da exploração dos pobres. A outra é ainda mais grave: “Vocês têm condenado e matado os inocentes e eles não podem fazer nada contra vocês”.
 
Abrandaríamos a acusação caso disséssemos: “Vocês têm condenado à pobreza e matado de fome os inocentes que trabalham para vocês”? Que diferença há entre matar à espada e matar de fome? Eles e nós precisamos parar e refletir. Os ricos e os poderosos a que se refere à passagem têm mesmo matado os inocentes ou é um exagero de Tiago?
 
Há muitos matadores de inocentes na história bíblica:
 
Caim matou seu irmão Abel, cujo culto agradava a Deus (Gn 4.8).
 
Davi mandou matar o marido de Bate-Seba para se casar com a viúva (2 Sm 11.14-17).
 
Baasa, o terceiro governante de Israel (depois da separação entre o Norte e o Sul), matou o seu antecessor e mandou matar as pessoas da família de Jeroboão (1 Rs 15.27-29).
 
Jezabel, a mulher do rei Acabe, caluniou e mandou matar a pedradas seu vizinho Nabote, só para o marido ficar com a plantação de uvas que pertencia ao finado (1 Rs 21.1-16). 
 
Por ordem do rei Joás, Zacarias, filho do sacerdote Joiada, foi morto a pedradas entre o altar e o Lugar Santo, no templo de Jerusalém (2 Cr 24.21; Lc 11.51).
 
Ao tomar Jerusalém,  Nabucodonosor, rei da Babilônia, não teve dó de ninguém, “nem dos moços nem das moças, nem dos adultos nem dos velhinhos” (2 Cr 36.17).
 
Herodes, o Grande, mandou matar todos os meninos de Belém e arredores, de dois anos para baixo, na certeza de que entre eles estaria Jesus (Mt 2.16).
 
Herodes Antipas mandou cortar a cabeça de João Batista, o precursor de Jesus e o maior entre os nascidos de mulher, só para satisfazer o pedido de uma adolescente (Mt 14.10).
 
Herodes Agripa I mandou passar a fio de espada Tiago, um dos filhos de Zebedeu, e irmão de João, no início de seu ministério (At 12.1-2).
 
Além dos assassinatos menos velados, a acusação de Tiago naturalmente inclui os inocentes que são mortos por falta de socorro da parte dos mais ricos e poderosos, por falta de consciência social e da ação prática e urgente do governo, da sociedade e da igreja. Por causa da ganância dos ricos e da omissão das instituições, as crianças morrem de fome e frio, os jovens morrem jovens e não na meia- idade, os de meia-idade morrem na maioridade e não na velhice. Os ricos corruptos sempre diminuem a longevidade dos mais pobres por absoluta ausência de consciência social!
 
FONTE: Revista Ultimato ( Edição Julho-Agosto, 2013)
Igreja Presbiteriana de Manhuaçu
Praça 5 de Novembro 406 . Centro . Manhuaçu . Minas Gerais
Telefone: 33. 3331.1055
w3vision